Data: 21 de novembro de  2011


Pessoas com atração por quem tem deficiência são chamadas de “devotees” no Brasil, embora em inglês o termo tenha o significado mais restrito de atração por quem tem uma amputação. Soube da existência dessas pessoas na década de 1990 na Internet e, a princípio, fiquei descontado, estranhei, até pensei que fosse necessariamente patológico, mas perguntei porquê deveria pensar assim já que tantas coisas provocam atração nos seres humanos – alguém que só tem atração por pessoas loiras e de olhos azuis, mesmo que só queira sexo com estas, não é considerado um tarado! No fundo, tal estranheza deveu-se à ideia de que as pessoas com deficiência não podem ser atraentes sob todos os aspectos. Qualquer tipo de atração só se torna patológica quando impede quem a possui de se envolver afetivamente com as pessoas às quais se dirige a atração.


Já namorei duas mulheres devotees – ambas tinham atração por outros tipos de homens também – que conheci pela Internet e poderia ter namorado outras. A atração delas iniciou o processo de se apaixonarem por mim, assim como poderia não ter esse resultado. Como todo homem, se uma mulher me abordar só para transar, acharei ótimo e nunca conversei com algum homem com deficiência que não se alegrasse por existirem mulheres com tal atração, embora em espaços públicos alguns as critiquem hipocritamente. Porem, nas raras vezes entro que nesse mundo sempre me deparo com alguma mulher com deficiência arrasada, mortificada, xingando algum devotee que só quis sexo com ela. Acho essa reação estranha porque, na maioria das vezes que um homem se aproxima de uma mulher, quer só sexo e, embora se queixem disso, a maioria das mulheres não-deficientes aprendem a lidar com isso de uma forma ou de outra, inclusive ir para cama só pelo prazer, sem se abalarem com essa realidade, e não vejo por que as têm deficiência deveriam ter mais dificuldade com isso. Há pessoas com todo tipo de atração que querem só sexo, outras que querem também um relacionamento, e ainda outras que alternam essas duas atitudes conforme as circunstâncias da vida. Não vejo por que os devotees seriam diferentes.



Voltar